sexta-feira, 4 de julho de 2008

Parece que não aprenderam a lição deixada por Renato Gaúcho

O técnico do Fluminense cantou vitória antes da hora e se deu mal. Meu amigo Jorge Ferraz avisa, em seu blog (muito bom, por sinal), que o Jornal do Commercio, no Recife, dedicou um caderno especial de oito páginas ao arcebispo, dom José Cardoso Sobrinho. Para atacá-lo, obviamente:



Agora, os fatos: dom José completou 75 anos no dia 30 e, como manda o Direito Canônico, apresentou sua renúncia ao Papa. Mas Bento XVI pode não aceitá-la imediatamente, e nesse caso dom José continua à frente da arquidiocese até quando o Papa quiser. E existem alguns precedentes para bispos notadamente fiéis à doutrina católica. Dom Eugênio Sales continuou como arcebispo do Rio de Janeiro até os 80 anos. Dom Pedro Fedalto ficou à frente da Arquidiocese de Curitiba até quase os 78 anos de idade. E Joseph Ratzinger pediu, mas João Paulo II não aceitou a renúncia do prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé. O cardeal só deixou o posto às vésperas de fazer 78 anos, e apenas porque o Papa morreu - e, como sabemos, Ratzinger nem assim conseguiu descanso...

Isso me lembra uma reportagem de capa da Veja em 1994, assinada pelo Mario Sabino, que dava a morte de João Paulo II como iminente. O Santo Padre ainda permaneceu conosco por 11 anos. Algo me diz que o Jornal do Commercio corre o mesmo risco.

4 comentários:

Captare disse...

Deus queira que ele ainda continue...

Desconhecido disse...

Dom José Freire Falcão também ficou por mais tempo à frente da Arquidiocese de Brasília, pois teve a renúncia primeiramente recusada por João Paulo II. Foi arcebispo até os 78 anos.

Daniela • Brasileira Insone disse...

Oi Marcio

Te "achei" googlando os comentários do blog do Reinaldo Azevedo. Deu um pouco de trabalho descobrir quem foi o jornalista da Gazeta do Povo que enviou o editorial de hoje do jornal para ele.

Mas eu não poderia deixar de vir aqui agradecer a você pela sensação de esperança que senti renascer com seu comentário. Sinto isso toda vez que descubro alguém da imprensa que lê o Reinaldo. Seu "caso" é ainda mais alentador para mim porque também sou de Curitiba: folgo em saber existir inteligência no nosso jornalismo!

Um dia precisávamos fazer uma reunião dos leitores do RA em Curitiba. Dava uma boa e interessante turma, não?

Abraços

Matheus Cajaíba disse...

Olá Marcio, bom saber que você é de Curitiba, tenho bons amigos aí. Gostaria de conhecer mais a respeito de dom José Cardoso, e também de uma análise sobre esse caderno de oito páginas do jornal pernambucano. Só de saber que "Frei" Betto é contra ele, já estou a favor! Aliás, "Frei" Betto ainda é frei?...

Um grande abraço, sou leitor assíduo do seu blog, que é fundamental, um dos melhores blogs católicos que conheço.