quarta-feira, 9 de julho de 2008

Isso aí, continuem tentando

Dando uma olhada em outros blogs católicos em inglês, achei isso aqui. É uma notícia do New York Times, publicada domingo:

Ancient tablet ignites debate on Messiah and ressurrection

Dando uma boa resumida, para quem não fala inglês: uma placa com um texto em hebraico, datada de algumas décadas antes do nascimento de Cristo, menciona um Messias que deve sofrer e ressuscitar depois de três dias, ou seja, um pouco oposto à visão que se tinha de um Messias triunfante que chegaria com tudo e daria um pé nos romanos.

Ainda não se tem certeza da autenticidade do negócio, mas o curioso é que a reportagem tenta fazer essa "descoberta" (entre aspas porque a placa não foi descoberta agora; já estava em posse de um colecionador faz uns 10 anos) comprometer... o Cristianismo! Primeiro, um professor de Berkeley diz que alguns cristãos acharão a descoberta chocante, pois contesta a "singularidade de sua teologia"; depois, um professor da Universidade Hebraica de Jerusalém diz que o conteúdo da tábua balançaria a visão básica do Cristianismo, porque a ressurreição no terceiro dia se tornaria uma idéia criada antes de Jesus... pelamordedeus, o que o sujeito tenta insinuar? Que Jesus e seus discípulos "copiaram" a idéia? O mesmo professor afirma que, no Novo Testamento, Jesus faz várias previsões sobre seu sofrimento, morte e ressurreição, mas que se acreditava que isso teria sido incluído depois pelos seus seguidores. Então, a tábua "sacode" essas teorias porque prova que, já na época de Jesus, havia a idéia de um Messias sofredor e que ressuscitaria no terceiro dia.

Bom, tudo isso não passa de palhaçada. Afinal de contas, parece que o repórter e seus entrevistados vêem um "problema" no fato de Jesus ser o cumpridor de profecias judaicas. São Mateus gastou um Evangelho inteiro para mostrar aos judeus que Jesus era o Messias profetizado em várias passagens do Antigo Testamento. Então o que há de extraordinário no fato de aparecer mais uma profecia realizada por Jesus? Pelo contrário: para mim, a tábua (caso seja mesmo autêntica) seria uma confirmação de que Jesus era realmente o Messias esperado pelos judeus.

A não ser, claro, que o pressuposto do repórter e dos entrevistados seja o de que Jesus fosse uma farsa. Aí a reportagem faz sentido. Porque, digamos, até então o Cristianismo seria uma farsa digna de Oscar de roteiro original: o Messias que sofre, é morto pelos romanos, ressuscita em três dias... realmente, uma historinha nova, muito bem bolada pelos primeiros cristãos. Mas aí aparece a tal tábua e se "prova" que os cristãos não poderiam levar mais que o Oscar de roteiro adaptado, afinal eles não fizeram mais que copiar a historinha da ressurreição em três dias de uma crença já difundida na época... ou seja, mais uma tentativa de desacreditar o Cristianismo na grande imprensa.

Isso é mais uma confirmação daquela frase que ouvi uma vez, e só não me lembro de quem é: para quem quer acreditar, nenhuma prova é necessária; para quem não quer, nenhuma prova será suficiente.

4 comentários:

adriano disse...

Lembrei daquele documentario ridiculo, da descoberta do tumulo de jesus e maria madalena....O tempo passou e aquilo virou piada...É mais facil achar o titanic no fundo do mar do que inventar uma mentira que pegue na igreja ....

Anônimo disse...

Não sei se você já reparou, mas todo domingo à noite no G1 aparece uma reportagem desse tipo, que a partir de verdadeiras asneiras tenta contestar o cristianismo ou os relatos bíblicos. Semanas atrás eles publicaram uma reportagem que dizia que Deus havia tido uma esposa, e um dos seus fundamentos era a idolatria dos reis de Samaria! É fantástico que, à moda da "nova teologia", sempre se negam os evangelhos, a patrística e a tradição, usando como fundamento "suposições", hipóteses, meros achismos que toda hora se contradizem e são substituídos por novas opiniões, mais de acordo com as novas modas!
Comece a entrar no G1 no finalzinho do domingo e comente as reportagens!

Anônimo disse...

Se não me engano, a frase que você cita no fim do post é dita também no começo do filme The Song of Bernadette.

Anônimo disse...

Aqui a seção do G1 em que são publicadas essas reportagens, inclusive uma com o tema do seu post de hoje: http://g1.globo.com/Sites/Especiais/0,,9982.html
São páginas e páginas para sua diversão! :)

Se você pesquisar no G1 por "Deus" e "esposa" vai encontrar a reportagem que mencionei no outro comentário.