domingo, 27 de abril de 2008

Freeedom, como diria William Wallace

Passei as duas últimas semanas dando jornada dupla no jornal: como editor de Vestibular e editor-assistente de Vida e Cidadania (o popular "primeiro caderno"). Chegava em casa sem vontade de abrir o micro. Mas isso acabou.

E volto à ativa com um artigo do André Petry (de novo). Dica da Cristina. Na verdade nem tentei procurar na Veja, achei no Google mesmo. É sobre a visita do Papa aos Estados Unidos. Petry diz que nada do que o Papa tem feito até agora é suficiente para reparar o escândalo de pedofilia (e olha que muitos dos casos nem eram pedofilia, e sim homossexualismo mesmo, já que a "vítima" era maiorzinha e sabia muito bem o que fazia).

Pois bem, a certa altura o Petry diz:

até hoje o Vaticano não mudou o código canônico, no qual consta tudo o que impede um padre de manter-se padre ou virar padre. A saber: homicídio, automutilação, tentativa de homicídio ou auxílio a aborto. Abuso sexual pode? Pode. Pedofilia pode? Pode.
Dizer uma coisa dessas é canalhice pura. Petry está falando do cânon 1041, o que enumera impedimentos para alguém receber o sacramento da Ordem. Agora, concluir que só porque pedofilia não está na lista a Igreja faça vista grossa para o fato é manipular o texto canônico de maneira torpe. Se bem que, se considerarmos a pedofilia como uma desordem psíquica, os pedófilos estariam, sim, impedidos de receber o sacramento porque cairiam no item 1 do cânon 1041 - item, aliás, que o Petry esqueceu, ou quis esquecer, de mencionar.

Se bem que, dos inimigos da Igreja, o que eu menos espero é compromisso com a verdade...

4 comentários:

Emanuel Jr. disse...

Esse Petry e surpreende a dia. Antes eu lia só os títulos os seus artigos porque não precisava de mais do que isso, até porque acaba ficando com raiva do resto. AGora já leio tudo que é pra ficar rebatendo o que ele argumenta. Incrível como é uma argumentação simplória e cheia de sofismas. Como o Márcio fez, derruba-se a argumentação em poucas linhas bem delineadas. Parabéns.

P.S.: compromisso com a verdade...? Fala sério.

Anônimo disse...

Enviei um e-mail para revista Veja, comentando o despreparo intelectual ( ou má-fé gratuíta) desse jornalista medíocre. Simplesmente me ignoraram. Os católicos deviam simplesmente parar de assinar esta revista. Não perderiam nada.

Vinnnie disse...

Quanto tempo ein Márcio?!

Sentimos falta dos seus posts.

Fique na Paz!

-Sobre o artigo, gostaria de lembrar que nessa semana parei de assinar a superinteressante, que também tem temas bem tendenciosos. O mesmo deve ser feito pelos católicos assintantes da Veja(a mentira).

Eduardo Araújo disse...

Vinnie, você está certíssimo: católicos não deveriam comprar essas revistas de conteúdo claro contra a nossa Igreja. Acrescente à sua lista o subproduto da Super(des)interessante: Aventuras na História (anticatólica e mentirosa, deveria ter por título Aventuras na Estória contra a Igreja).

É bom espalharmos essa idéia, na tentativa de acabar essa incoerência - financiarmos a propaganda hostil contra nós.