quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Agência Estado canoniza a irmã Lindalva

Hoje vários jornais, inclusive a Gazeta do Povo, deram a notícia de que o Vaticano está para declarar irmã Dulce "venerável". Como por algum motivo não acho a notícia no site da Gazeta, vai o link do Último Segundo mesmo. O texto é igual, exceto por um pequeno pormenor que conta a favor do US (vejam mais abaixo).

A gente começa a ler e pensa "puxa vida, olha só, eles estão se preocupando em descrever direitinho o processo", afinal dizem que a declaração de "venerável" é o penúltimo passo antes da canonização, e que a beatificação é o último passo. Mas da metade pra frente a coisa degringola:


Com o título de venerável, a baiana é reconhecida pelo Vaticano como uma serva de Deus (beata) que teve a vida pautada por realizações em benefício do próximo.
Lá no Último Segundo o camarada que colou esse texto no sistema interno deve entender de religião, porque removeu o (beata) -- justamente a parte problemática, pois, como sabemos, "servo de Deus" é uma coisa, "beato" é outra. Beato é quem foi beatificado.

Mas o pior está por vir:


Como venerável, o Vaticano dá sinais positivos para que ela se torne santa, como aconteceu com a Irmã Lindalva (canonizada em 2007).
Não sei se os parênteses foram obra da Agência Estado ou do padre Manuel, da Arquidiocese de Salvador. De qualquer maneira, Lindalva foi beatificada em 2007, e não canonizada. É o tipo de coisa que devia causar estranhamento no repórter, ou no editor, pois só o Papa canoniza, e em 2007 ele esteve aqui pra canonizar Santo Antônio de Sant'Anna Galvão, e não a irmã Lindalva.

Será demais exigir que os jornalistas saibam que só o Papa pode canonizar?

Um comentário:

Julie Maria disse...

Sem comentários!!!

Marcio, queria receber seus posts via-email... não tem como você assinar o feedburner?

Thanks!

JM