terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Para encerrar o ano, uma besteira monumental

Todo mundo já viu (até no Jornal Nacional!), todo mundo já leu que o Papa teria afirmado, no discurso de Natal à Cúria Romana, que "salvar gay é tão importante quanto salvar florestas", segundo a Reuters. O título caiu no gosto de editores em todo canto, pois foi reproduzido ipsis litteris pelo Estadão, pelo O Globo, pela BBC Brasil e sabe mais por quem...

Já posso até imaginar a Gaystapo (vi essa felicíssima expressão na internet, assim que eu lembrar o autor eu coloco aqui) organizando aquelas demonstrações de intolerância típicas do "pluralismo" atual: todo mundo quer que a Igreja seja tolerante, mas ninguém quer ser tolerante com a Igreja.

O Papa na reunião de ontem. Como é fácil botar palavras na boca do sucessor de Pedro... Foto Max Rossi/Reuters

Pois bem, o discurso do Papa está aqui, em italiano. Essa frase do Papa, segundo a qual "salvar gay é tão importante quanto salvar florestas", simplesmente não existe. Verdade que a Reuters não colocou isso entre aspas, mas o fato é que no discurso não há nada nem remotamente parecido com isso.

O que o Papa realmente disse?

As florestas tropicais merecem, sim, nossa proteção, mas não a merece menos o homem, como criatura.
A Reuters publica corretamente muitas das aspas do Papa, mas escorrega justamente no principal, que escolheu como manchete. Uma escolha absurda, feita apenas para chamar a atenção, sem compromisso nenhum com a verdade. O Papa diz que é importante salvar o homem - todos os homens, não apenas os gays - da autodestruição.

Na verdade, eu percorri o discurso todo e nele não existe uma menção qualquer à homossexualidade. O que o Papa faz é a defesa do casamento. A Reuters escreveu:

Ele afirmou que os comportamentos que vão além das relações heterossexuais são "a destruição do trabalho de Deus".
Mas o discurso afirma

Aqui se trata do fato da fé no Criador e na escuta da linguagem da criação, cujo desprezo seria uma autodestruição do homem e, assim, uma destruição da própria obra divina.
Enfim, a Reuters pega toda uma abordagem sobre o comportamento humano, a vontade de ser autosuficiente, o orgulho que faz o homem prescindir de Deus, e a reduz... a sexo. "Frangamente", como diz a Tamara, lá da comunidade Católicos do Orkut...

5 comentários:

Vinnnie disse...

Nossa, mas que vergonha. Está cada vez mais difícil acreditar na mídia.

Que bom que você voltou a postar, Márcio.

Ynot Nosirrah disse...

Lamentável isso que fizeram com as palavras do Santo Padre.
Mas não vamos desanimar, nem perder a fé, porque passei aqui hoje para prestigiar seu trabalho e trazer a paz do Senhor que me foi oferecida na missa do domingo passado.
Continue com seu belo serviço de lutar pela boa imagem de nossa crença na Internet, companheiro.

Feliz Natal.

http://conscienciaacademica.blogspot.com/

R. B. Canônico disse...

Marcio, nao subestime o poder de alguns jornalistas: o ano possui alguns dias e eles podem se superar.

Agora, de fato, é a manchete mais bizarra que eu já vi.

Como explicar isso: má fé ou ignorancia?

Kairo Neves disse...

suspeitei desde o princípio... pena seu blog não ter alguns minutos no horário nobre como o JN...

Feliz Ano Novo...

Julie Maria disse...

Estimado Márcio, acho que escrevi um comentário aqui... você recebeu?

Grata

JM