sexta-feira, 28 de novembro de 2008

O ex-ministro me dá um pretexto para voltar

Credo cruz, quase dois meses sem escrever nada... desculpem, leitores! Ocupado todo mundo é, então não tenho muita desculpa não, exceto talvez a manutenção do Tubo de Ensaio.

Mas o Reinaldo Azevedo, no seu blog, traz a entrevista que sai hoje no Estadão com o ex-ministro da Educação Paulo Renato de Souza. Sem entrar aqui nos méritos do que ele fez ou deixou de fazer durante o mandato do FHC, ele diz aqui uma grande, incrível, espetacular bobagem. A entravista é sobre cotas nas universidades, então coloco só o que interessa (não tenho link para o resto, é só para assinante).

Falando em Reinaldo Azevedo, olha só, o mestre e eu no lançamento do livro dele quarta-feira em Curitiba.

O sr. acha que existem raças entre os homens ou existe apenas a espécie humana, como define a moderna biologia?
Essa questão é muito mais para a antropologia do que para a política. Que todos são seres humanos, é óbvio. Mas também é óbvio que a própria Igreja Católica, há pouco mais de 100 anos, considerava os negros como animais. Isso nós não podemos desconhecer. Essa questão tem de ser tratada do ponto de vista objetivo. E objetivamente, no Brasil, é totalmente descabido nós esquecermos a questão racial, porque somos um país de grande miscigenação. É difícil achar um brasileiro que não tenha um componente de sangue branco ou negro.
Viram o itálico? OK, a entrevista é sobre educação, e não sobre a Igreja, mas será que o repórter não fica com a pulga atrás da orelha quando ouve um negócio desses? Não custa perguntar "mas, ministro, onde é que o senhor viu isso?" A não ser que essa história já tenha virado uma "verdade" goebbeliana (foi mal o neologismo, acho que vocês sabem do que estou falando).

Como comentei no blog do Reinaldo, no orkut eu e meus amigos já desafiamos dezenas de pessoas que passam pela comunidade que modero a trazer um, apenas um documento pontifício que afirmasse a ausência de alma nos negros. Nunca conseguiram. O máximo que trouxeram foram algumas bulas sobre escravidão, e nem lá se dizia o disparate que atribuem à Igreja. Engraçado é que, se os negros não tivessem alma, o que a Igreja estaria fazendo ao pregar para os negros e batizá-los? Ora, só se batiza quem tem alma...

Sabem o que é pior? É que a entrevista sai no jornal e provavelmente bispo nenhum, nem a CNBB, vão mandar uma cartinha de leitor contestando o ministro. Vai passar como verdade.

6 comentários:

Alexandre Magno disse...

"Sabem o que é pior? É que a entrevista sai no jornal e provavelmente bispo nenhum, nem a CNBB, vão mandar uma cartinha de leitor contestando o ministro. Vai passar como verdade."

Talvez seja para evitar contendas. Será?

vinnnie disse...

pior...rs


rezemos pela Igreja no Brasil.

Danilo Augusto disse...

Bem diferente do caso da Nacy Pelosi, deputada americana, que proferiu uma tremenda besteira sobre o ensinamento da Igreja na questão do início da vida. A deputada foi corrigida por 2 cardeais, 7 arcebispos e mais um punhado de bispos e padres.
Bem diferente!

wagnermoura disse...

Oi, você ganhou o Prêmio Dardos. Parabéns! Passa lá no meu blog pra receber. ;)

Captare disse...

Seja bem-vindo de volta, Márcio!
Os católicos do Brasil deveriam voltar suas atenções mais vezes para seus vizinhos do Norte. Lá, muito tem acontecido de positivo!

Infelizmente, isso é muito difícil dado o sentimento anit-americano que reina no país, especialmente dentro da Igreja e creio que vc também saiba o motivo.

Sim, Vinnie, rezemos pela Igreja do Brasil!

WM disse...

Já viu a palestra do Reinaldo aos jornalistas da Editora Abril? Do dia 24 de novembro: http://www.naozero.com.br/palestra-reinaldo-azevedo