quinta-feira, 9 de julho de 2009

O cardeal que levou a culpa pelo que não fez

(escrito na noite de quarta, mas publicado só na manhã de quinta para não desrespeitar as regras da agência noticiosa)

Estava eu aqui vasculhando as notícias da Folhapress para o fechamento do jornal de hoje quando vi a seguinte insanidade:

Religião-Vaticano: Papa remove cardeal responsabilizado por crise sobre Holocausto
Fiquei pensando quem seria o tal cardeal. Aí o texto diz:

O papa Bento 16 removeu hoje uma autoridade do Vaticano amplamente responsabilizada por suspender a excomunhão do bispo Richard Williamson, que havia negado a amplitude do Holocausto.
O cardeal Darío Castrillón Hoyos era presidente do departamento Ecclesia Dei (Igreja de Deus) criado 20 anos atrás pelo Vaticano para buscar uma reaproximação com o grupo dissidente tradicionalista Sociedade de São Pio 10º (SSPX), que se opõe a medidas de modernização introduzidas na igreja pelo Concílio Vaticano 2º (1962-65).
Opa, opa! O responsável por suspender as excomunhões dos bispos lefebvristas foi o próprio Papa! Ele disse isso mais de uma vez! E aliás a Folhapress sabe disso, pois lá no fim do texto escreveu

Os comentários de Williamson e a decisão do papa de remover sua excomunhão -que visava a pôr fim a uma disputa de 20 anos dentro da igreja-
Então, qual foi o "erro" de Castrillón? Foi bem diferente de "ser responsável pela reabilitação de Williamson":

Mas o bispo britânico já havia feito comentários semelhantes antes do perdão -boa parte deles disponíveis na Internet - e Castrillón Hoyos foi criticado por não ter examinado o caso dele adequadamente e previsto a reação que se seguiria.
Do jeito que saiu a notícia na Folhapress, ficou parecendo que o Papa estava retaliando o cardeal Castrillón pela sua atuação no caso dos lefebvristas. Assim como os idiotas do Estadão fizeram parecer que o Papa tinha aceito a renúncia de dom José por causa do episódio de Alagoinha. Mas o que aconteceu de fato?

A incorporação da Comissão Ecclesia Dei à Congregação para a Doutrina da Fé já era algo amplamente conhecido. Só não se sabia quando ocorreria. Com o novo organograma, o prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé se torna presidente da Ecclesia Dei. Além disso, o cardeal Castrillón já está com 80 anos, bem acima da idade de aposentadoria dos bispos. Ou seja, o entra-e-sai de prelados tem motivos puramente organizacionais. Querer atrelar a aposentadoria do cardeal Castrillón ao caso do bispo Williamson é forçar demais a barra. Mas o que esperar da Folha, némesmo?

E fica a pergunta: na manhã dessa quinta, quantos jornais terão caído no conto da Folhapress?

7 comentários:

Julie Maria disse...

Tantas idiotices e acreditam como se fosse verdades. É, seu blog tem muito trabalho a fazer!

PAZ

JM

Leonardo Campos disse...

Putz,
Hoje tem nome de bom jornal quem tiver mais dinheiro para fazer essa propaganda. No fim das contas são todos iguais. Uns só falam mais polidamente que o outro. Sei que é exagero da minha parte, mas ta quase chegando lá.

www.apostoladoshema.com

Leonardo Campos disse...

O pior é que fazem isso sem a menor responsabilidade. Encontram notícias onde não existem. Isso é fofoca e não reportagem. Se for assim, prefiro acreditar na minha vizinha, pelo menos conheço melhor.

Anônimo disse...

O significado dessa matéria é, ao meu ver, esse: o grupo herético (se é que em verdade podemos denominá-los assim) da teologia da libertação (filhos da KGB) estão receosos pelo aumento da participação do povo leigo na missa tradicional (apoiada pelo atual Papa), bem como com receio de tudo aquilo em que nela gravita de significados.

A Folha e o Estadão (pasquins de orientação gramscista) é simplesmente o canal oficial de desinformação desse grupo.

Nelson Viana disse...

Caro Marcio,

Muito obrigado pelo seu trabalho em esclarecer-nos melhor sobre todos estes assuntos. Obrigado acima de tudo pela sua "Caridade" em levar-nos à "Verdade" que muitos distorcem...

Um abraço deste seu irmão português,

Nelson

Marcio Monteiro disse...

Prezado Marcio, boa tarde!

Parabáns pelo Blog, uma verdadeira aula para os coleguinhas da Imprensa, quase todos arrogantes e presunçosos, particularmente quando o assunto é Igreja Católica, pois não sabem quase nada sobre o tema e querem escrever com autoridade.
Mas por favor: Vamos atualizar com mais constância este Blog incrível, pois desde julho que você não o atualiza. Você tem um tesouro nas mãos. Cuide bem dele!!
Fique com DEUS e um abraço!
MARCIO MONTEIRO

Anônimo disse...

Márcio,

Até onde sei, o motivo que fez com que houvesse a "fusão" das duas congregações, foi justamente a aceitação por parte do Papa de elevar as conversas com a FSSPX para um nível doutrinal. Nada que ver com a saída de D. Hoyos.