quarta-feira, 18 de junho de 2008

Tem gente que acha um jeito de colocar a Igreja em tudo

Assim como o Orlando Fedeli, que vê em tudo um pretexto para criticar o Concílio Vaticano II, o El País parece usar de todas as oportunidades para jogar uns dardinhos na Igreja.

Pois bem, em um texto* sobre um bafafá que deu na França laicista e anti-religiosa sobre um divórcio civil concedido porque a noiva enganou o noivo (ambos muçulmanos) sobre sua virgindade, o repórter ainda me saiu com essa no fim:
Para o judaísmo as relações íntimas antes do casamento estão proibidas pela halakha (lei judaica) porque o sexo não pode ter outro objetivo além da procriação. O catolicismo não é mais aberto e critica inclusive a "castidade conjugal". O islamismo também exige a "pureza" mas admite o arrependimento quanto aos "deslizes" anteriores ao casamento, se houver a intenção de uma reparação. O integrismo força a interpretação das coisas.
Peraí. "Critica a castidade conjugal"? Engraçado que o repórter não explicou o que seria a "castidade conjugal", e nem quando foi feita a sua "crítica". Eu imagino que seja porque o repórter não faz a menor idéia do que está falando -- afinal, lembrem-se, ele é do El País.

Aí eu me lembro de quando o Papa esteve aqui e falou, acho que no Pacaembu, da castidade "dentro do casamento" -- incentivando, não criticando -- e todo mundo entendeu errado. Quer dizer, todo mundo menos os católicos de verdade, que entenderam exatamente o que o Papa queria dizer...

* Não deixei o link porque parece que está restrito a assinantes do UOL. Eu recebi essa pérola por e-mail.

3 comentários:

Vinnnie disse...

Márcio, uma pergunta, as aspas em "castidade conjugal" são suas ou do jornalista do El País?

Bom, sobre o assunto, tenho que dizer que, se por um lado o jornalista tem pouco espaço(ou caracteres) para se expressar, por outro tem que ter o mínimo de compromisso ético sobre o que escreve.

Quando ele diz que o catolicismo não é mais aberto, quer dizer que é mais rígido, certo? Mas se logo depois ele diz que o catolicismo critica INCLUSIVE a "castidade conjugal", quer dizer que, segundo a visão dele, o catolicismo é mais liberal. Não soa meio contraditório? Primeiro é rígido e depois é liberal... Enfim, na minha opinião, como o Márcio já sugeriu, ele não sabe nem o que é catolicismo, pois o que ele colocou não tem absolutamente nada a ver com a doutrina católica.

Sue disse...

Meu amigo,

Este povo acha que "castidade" é o mesmo sem tirar nem por que "abstinência"... mas, como você mesmo disse, os católicos de verdade são mais bem informados.

Captare disse...

Olá, Márcio!

Conheci seu Blog outro dia desses. Desde então eu li todos as postagens dele, desde o começo.

Cara, eu tenho que te parabenizar por três coisas:

1- Pela iniciativa, pois ainda não tinha visto ninguém fazer nada igual, ou pelo menos não tão bem-feito;
2- Pelos argumentos firmes e pelo estilo despojado que você utiliza, o que torna a leitura bem agradável;
3- PRINCIPALMENTE pela ortodoxia, pela fidelidade à Doutrina da Santa Romana Igreja que você demonstra em suas postagens, coisa rara de ser ver hoje em dia naqueles que se dizem católicos;

Seu Blog já adquiriru lugar cativo nos sites ctólicos que eu checo sempre. Acredite, você mereceu!

Quanto ao artigo que você comentou, infelizmente vivemos na era da "opinião" e estamos entregues aos "achismos" daqueles que não fazem mais que sua obrigação quando pesquisam o assunto sobre o qual tratam. E olha que nem isso eles fazem!

Gostaria que você me permitisse divulgar suas análises a reportagens de maior repercussão no Fórum do Apostolado Veritatis Splendor.

Deus te abençoe, "Jornalista de Jesus"!(hehehe...)